Home » Notícias »
25.07.14

O mês dos homens é comemorado em julho. Apesar de pouco divulgada e sem comemorações, o objetivo dessa data é conscientizar o sexo masculino da importância de ir ao médico periodicamente.

O câncer de pulmão é a causa mais comum de mortes relacionadas a câncer no mundo, apresentando um aumento de 2% ao ano na sua incidência mundial. Mais homens do que mulheres desenvolvem esse tipo de câncer.

Houve um aumento de mais de 50% no número de casos de câncer de pulmão em homens no Brasil nos últimos 20 anos. Até 90% dos casos desse tipo de câncer estão associados ao hábito de fumar, sendo esta uma das principais causas de morte evitável.

O câncer de pulmão é frequentemente assintomático nas fases iniciais, portanto geralmente é diagnosticado em fases mais avançadas, com potencial de cura inferior a 20% dos casos. Os sintomas mais frequentes são tosse, escarro com sangue e falta de ar, além da perda de peso e fadiga.

Um dos métodos de avaliação quando o paciente se queixa de algum sintoma ou sinal de doença respiratória é a radiografia de tórax, que poderá detectar alguma lesão suspeita.

“O câncer de pulmão frequentemente é identificado pela radiografia do tórax como: nódulo pulmonar solitário, massa pulmonar ou pela presença de derrame pleural. Pode ainda simular um quadro radiológico de pneumonia”, afirma Dr. Paulo Menicucci, radiologista da Axial, associada à Alliar. Esse exame é extremamente importante como parâmetro básico normal ou como registro do estádio ou progressão da doença.

“A radiografia de tórax deve ser realizada em todo paciente com suspeita de câncer de pulmão. Ela é, no entanto, limitada para detecção de lesões com dimensões inferiores a 1 cm”, completa Dr. Paulo.

Sendo assim, a tomografia computadorizada é o próximo passo após a radiografia de tórax, como explica o especialista: “Esse exame deve ser realizado em todo paciente cuja radiografia de tórax sugira neoplasia pulmonar ou naqueles com suspeita clínica de câncer de pulmão que não apresentam anormalidade à radiografia”.

A tomografia por emissão de pósitrons, conhecida como PET, também vem sendo utilizada no diagnóstico diferencial entre nódulos pulmonares malignos e benignos.

Compartilhar:
  • Twitter
  • Facebook