Alliar movimenta mais de R$ 760 milhões em IPO

O mercado de ações teve ontem sua primeira abertura de capital em cerca de um ano e meio. A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da empresa de diagnósticos Alliar movimentou mais de R$ 760 milhões, segundo fontes que acompanharam a transação. O preço foi definido em R$ 20, próximo do piso da faixa indicativa de R$ 19 a R$ 25.

Com demanda de 2,7 vezes o livro, a oferta atraiu cerca de 50 investidores institucionais, sendo mais da metade estrangeiros. A participação da pessoa física ficou bem acima dos 10% definidos como mínimo.

A oferta contou com distribuição primária e secundária de ações ordinárias. Dos papéis ofertados, cerca de 54% estavam nas mãos de acionistas, um grupo de 76 pessoas físicas, entre eles os médicos Sérgio Tufik, com fatia de 23,36%, e Roberto Kalil Issa, com 17,29% das ações, além de dois fundos da gestora de private equity Kinea. O Pátria Investimentos, com 25,4% do capital da companhia por meio de fundos de participação, não vendeu ações na oferta.

Os recursos captados com a oferta primária – coordenada pelos bancos Itaú BBA, Bank of America Merrill Lynch e Santander – serão usados para a expansão orgânica da companhia, com a compra de equipamentos e a abertura de novas unidades.

A rede de medicina diagnóstica Alliar foi fundada há cinco anos pela gestora de private equity Pátria. A história da companhia chama atenção pelo rápido crescimento, impulsionado, principalmente, por cerca de 20 aquisições. O maior negócio foi fechado com o Centro de Diagnósticos do Brasil (CDB) que possibilitou à empresa entrar na capital paulista há dois anos.

A Alliar atua em mais de 100 unidades de atendimento, distribuídas em 46 cidades em 10 Estados brasileiros. Tem cerca de 5 mil empregados e mais de 870 médicos como prestadores de serviços. De acordo com o prospecto preliminar da oferta, a receita líquida consolidada pro forma não auditada da companhia alcançou R$ 818,7 milhões em 2015 e R$ 460,1 milhões no primeiro semestre deste ano, com margem Ebtida ajustada de 21,5% e 21% para os respectivos períodos. Já o retorno sobre o capital investido ajustado sem “goodwill” é de 18,9%, segundo o documento.

A oferta da Alliar é a primeira abertura de capital desde o IPO da Par Corretora de Seguros, em junho de 2015. Neste ano, em abril, a Rumo Logística levantou R$ 2,6 bilhões por meio de uma oferta primária de ações (“follow-on”) com esforços restritos de colocação. Desse total, cerca de R$ 1,1 bilhão foi captado no mercado de capitais. Foi a primeira oferta de ações com participação de investidores. Sob as regras da instrução CVM 476, com esforços restritos de distribuição, houve ainda outras três operações – Linx, CVC e Fras-le.

No mês de julho, foi a vez de a Energisa fazer uma oferta subsequente com distribuição pública sob as regras da instrução CVM 400. A companhia conseguiu levantar R$ 1,53 bilhão. (Colaborou Daniela Meibak)

Outras notícias relacionadas